farmacias online

O mercado novo, mas regulamentado, das farmácias online

Aviso prévio

O conteúdo da Dicamed é um ponto de vista de usuários e médicos/farmacêuticos entrevistados, sobre remédios e a forma de adquiri-los. O objetivo da Dicamed não é expor os medicamentos ou propagandear a venda dos mesmos em seu site, respeitando o art. 273 do Código Penal.

Nossa intenção é de promover um debate construtivo a respeito da saúde, disponibilizando artigos para informar o público sobre remédios e a possibilidade de comprar estes medicamentos online, no Brasil ou no exterior, de forma segura, a custo mais baixo e com serviços de qualidade.

Porque a procura por farmácias online está crescendo?

1. A internet está se tornando um canal de comunicação e distribuição essencial para todas as marcas e os produtos, inclusive os remédios.

2. As dificuldades de transportes em centros urbanos, o aumento da população de pessoas idosas com dificuldade de locomoção, e o número significativo de pessoas com acesso difícil à farmácias tradicionais – por exemplo, no interior dos estados – potencializam o crescimento da internet como forma de compra de remédios.

3. Algumas doenças sofrem do preconceito da sociedade, com poucas informações disponíveis e causando dificuldades aos pacientes que temem de ir ao médico e à farmácia do seu bairro ou da sua cidade, para fazer um tratamento.

Conclusão

A ida a uma consulta médica é ainda a forma mais comum, uma vez que as pessoas estão habituadas ao contato direto com o médico. Contudo, este método é mais lento e mais caro, porque o doente tem que se deslocar ao médico e depois acaba por ter que se deslocar a uma farmácia.

Por outro lado, a aquisição pelas farmácias online é mais rápida e econômica. Websites legais e sérios disponibilizam um serviço de consulta médica, pelo que o medicamento só é disponibilizado se for adequado para o doente.

Existem riscos de comprar remédios na internet?

Sim. Existem sites ilegais vendendo remédios falsificados e/ou sem exigir do paciente uma receita médica : nestes casos, facilmente detectáveis, o usuário corre riscos para sua saúde comprando produtos perigosos ou inadequados para sua patologia.

Porém, existem também excelentes farmácias online, legais, no Brasil e no exterior. Tentamos aqui, neste blog, entender esse mercado e mostrar soluções de qualidade.

Na Europa, agora as farmácias “online” passam a ter logótipo comum contra medicamentos falsos.

O que diz a lei brasileira em relação a venda e a compra de medicamentos pela internet?

1. A venda de medicamentos no Brasil é ato privativo de farmácia, drogaria ou posto de Saúde, com farmacêutico responsável presente durante todo o horário de funcionamento. A legislação autoriza a venda por internet apenas através de sites vinculados a farmácias e drogarias físicas, em funcionamento de forma regular, de acordo com as normas brasileiras.

2. É imprescindível a apresentação e a avaliação da receita pelo farmacêutico para a comercialização de medicamentos sujeitos à prescrição, solicitados por meio remoto.

3. Toda pessoa física pode comprar, ou importar, por encomenda postal medicamentos aprovados e registrados pela ANVISA, para consumo próprio, mediante apresentação de receita médica e documentação específica. A pessoa física pode, ainda, importar medicamentos não registrados no país, desde que, autorizado previamente pela ANVISA através de processo administrativo próprio (saiba mais aqui).

Quais são os remédios comentados aqui no blog Dicamed?

homepage